Movimento Sindical

Uma semente do sindicalismo da década de 80

idaco-movimentos-sindicais

O IDACO nasceu como fruto do trabalho sindical. No final dos anos 80, ainda durante o regime militar, a palavra de ordem era de fortalecimento do trabalhador, da organização de sindicatos, cooperativas e associações, para que tivessem, além do poder de reivindicação, maior consciência política.

Essa foi a grande motivação do movimento de engenheiros que surgiu no Estado do Rio com o objetivo de democratizar suas entidades de classe. Profissionais e técnicos comprometidos com o processo de reconstrução da democracia no país assumiram a direção, entre outras entidades, do Clube de Engenharia, do Senge – Sindicato dos Engenheiros do Rio de Janeiro – e da AEARJ – Associação de Engenheiros Agrônomos do Estado do Rio de Janeiro

Nesse contexto de revitalização sindical, o Sindicato dos Engenheiros era parceiro da maior instituição sindical da França, a Confederação Francesa Democrática do Trabalho – CFDT, que frequentemente enviava alguns sindicalistas ao Brasil. Estes contatos fazem parte do movimento que, mais tarde, resultaria no surgimento da Central Única dos Trabalhadores.

“Ainda durante o regime militar, a palavra de ordem era de fortalecimento do trabalhador”

Quando o Institut Belleville solicitou ao Sindicato dos Engenheiros que recebesse um técnico francês para estudos na área rural do Brasil, Agostinho Guerreiro, que havia assumido a Direção Regional do Incra, o recebeu. Os contatos, apoios e parcerias com a França se intensificaram e, cientes da necessidade de respostas aos inúmeros problemas vivenciados pelos pequenos produtores rurais, fez-se necessária uma estabilidade que viabilizasse as ações já iniciadas.