Geração de Trabalho e Renda – PGTR (Concluído)

Proposta:

Atuando diretamente com as comunidades carentes, o Projeto de Geração de Trabalho e Renda – PGTR oferece o apoio necessário para que o crédito seja bem aplicado e gere lucros. A proposta é partir da demanda de conhecimento gerada por aqueles que têm um empreendimento próprio. Tendo as  capacitações e as parcerias como dois de seus pilares fundamentais o Idaco busca criar uma rede interinstitucional em prol da formação administrativa dos pequenos empreendedores.

 

Objetivos

A arte e o prazer de ter seu próprio negócio

Com o objetivo estimular a autogestão; capacitar pequenos empreendedores no âmbito administrativo; incentivar o trabalho em grupo e desenvolver o espírito de parceria, o PGTR oferece cursos voltados para a área administrativa, buscando incentivar o trabalho em grupo.

Com larga experiência em projetos de microcrédito, com os quais atua desde 1999, quando lançou o Fundo de Crédito Popular, o Idaco conhece a as imensas dificuldades dos pequenos empreendedores na administração e definição do objetivo dado ao crédito próprio ou emprestado por instituições públicas, privadas ou organizações não governamentais.

“O PGTR reforça a experiência de trabalho e renda já obtida
por pessoas que possuem empreendimentos ou planos para isso”.

Com a proposta de atuar diretamente na demanda de conhecimento gerada por aqueles que têm um empreendimento próprio, o Idaco tem as capacitações e as parcerias como dois de seus pilares fundamentais. Nesta linha, busca criar uma rede interinstitucional em prol da formação administrativa dos pequenos empreendedores.

Parcerias

O IDACO trabalha junto às comunidades de forma a fomentar e ampliar as parcerias bilaterais. O Instituto participa como sujeito ativo em diversos fóruns de economia solidária, se fazendo presente em diversas redes nacionais e internacionais. Também vem estreitando os laços com o poder público, nas três instâncias de poder (municipal, estadual e federal), tendo como um de seus principais parceiros em âmbito público os CRAS (Centros de Referência da Assistência Social), criados após a implementação do Sistema Único da Assistência Social (SUAS), com o objetivo de descentralizar as políticas públicas do Estado. As associações de moradores e outras entidades de base somam-se aos projetos contribuindo na articulação local, e no reconhecimento das especificidades dos grupos das comunidades”.

Entre os parceiros do Idaco no Projeto de Geração de Trabalho e Renda estão:

Misereor
Prefeitura Municipal de Mesquita

A luta por mudanças estruturais no dia a dia da realidade brasileira

Fundo de Crédito Popular

A busca por uma melhor distribuição de rendaEm março de 1999, o Fundo de Crédito Popular, um projeto de financiamento da economia popular desenvolvido em comunidades de baixa renda do município do Rio de Janeiro, iniciou suas atividades através da oferta de crédito direcionado a pequenos empreendedores formais e informais que não têm acesso a linhas de crédito tradicionais.
“São contempladas as solicitações que mostrem viabilidade econômica e social”
Com o apoio da Misereor, agência de cooperação internacional ligada à Igreja Católica alemã, o Fundo de Crédito Popular desenvolveu suas atividades em três comunidades cariocas: no Morro Santa Marta, favela situada na Zona Sul da capital; no Complexo de Manguinhos, onde o Idaco atuou diretamente em quatro de suas onze comunidades; e no Conjunto Habitacional Campinho, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. O trabalho cotidiano em Santa Marta foi assumido pela organização local que utiliza a infraestrutura disponível: as Obras Sociais Unidas do Santa Marta.

As solicitações de financiamentos são feitas pelos microempreendedores e recebidas pelos agentes de crédito, avaliadas de forma criteriosa e objetiva pelos coordenadores locais . São contempladas as solicitações que, mesmo sendo de pequeno valor, mostrem viabilidade econômica e social. Trinta dias após a concessão do crédito, o contratante começa a realizar a devolução do dinheiro, parceladamente, para que novos financiamentos possam ser feitos, garantindo, assim, a auto-sustentabilidade do Fundo.

Tratando os “clientes” com o máximo de respeito o Fundo de Crédito Popular contribui para a melhor distribuição de renda nas comunidades onde atua.

Unindo forças pelo futuro do planeta

Os projetos ambientais desenvolvidos pelo Idaco têm por objetivo a proteção da floresta tropical no Estado do Rio de Janeiro e o desenvolvimento sócio-ambiental das comunidades localizadas no entorno de unidades de conservação. Para isso, atua junto às populações rurais, promovendo o uso de tecnologias alternativas adequadas à realidade econômica, social e ambiental, e o manejo integrado e auto-sustentável dos recursos naturais renováveis. Além disso, o Idaco contribui na organização comunitária e na melhoria da qualidade de vida e de trabalho desta população.

Para realizar essas ações o Idaco conta com o apoio da agência de cooperação alemã EZE – Associação Protestante de Cooperação em Desenvolvimento.
“O Idaco atua na capacitação de agricultores,
na seleção de matrizes, no armazenamento de sementes
e na produção de mudas de espécies florestais”.
As parcerias nacionais também são de grande importância nestes projetos. Através do concurso anual de projetos da PRODETAB (Programa de Desenvolvimento de Tecnologia Agropecuária para o Brasil), vinculado à EMBRAPA, o IDACO reforça suas atividades de implantação de unidades demonstrativas e recuperação de áreas degradadas. Outro importante apoio é o do FNMA (Fundo Nacional de Meio Ambiente). Com a UFFRJ, o Idaco atua na capacitação de agricultores na área de colheita de sementes de florestas tropicais, na seleção de matrizes superiores (árvores preferenciais para a colheita de sementes), no armazenamento de sementes e produção de mudas de espécies florestais. Com a Prefeitura Municipal de Paraty, o trabalho visa o desenvolvimento da agricultura familiar e a proteção do meio ambiente.

DESENVOLVIMENTO RURAL
Com um olhar sensível à realidade rural, destacam-se entre as ações do idaco: agroindústrias coletivas, capacitações técnicas e reuniões comunitárias
Os pequenos agricultores instalados em assentamentos rurais vivem de produzir e comercializar a sua produção, obtendo, assim, sua renda. Se, em um desses momentos, não obtiver bons frutos, o pequeno produtor, provavelmente, terá dificuldades em atingir uma vida digna e saudável.

Neste contexto, o Idaco implementou, em 1995, o projeto de Apoio à Comercialização da Produção Agrícola no Estado do Rio de Janeiro, visando promover o desenvolvimento no campo, a redução no êxodo rural fluminense e, consequentemente, o inchaço das grandes cidades, e a consolidação do processo democrático no país, através da diminuição das desigualdades sociais no campo e na cidade. Para a realização efetiva do projeto, Idaco contou com o apoio da NOVIB – Organização Holandesa para a Cooperação Internacional de Desenvolvimento, agência que preconiza o combate estrutural à pobreza e que participou, de maneira decisiva, do desenvolvimento sustentável do Hemisfério Sul.


Além desse apoio, o Idaco contou com a parceria das associações e cooperativas de pequenos produtores rurais dos assentamentos, com os sindicatos dos trabalhadores rurais locais, do MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, da FETAG – Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Rio de Janeiro, e da Unacoop – União das Cooperativas Usuárias do Pavilhão 30 da Ceasa.

De forma direta, o Idaco atua através da montagem de agroindústrias coletivas, da promoção de capacitações técnicas, reuniões comunitárias e seminários. Indiretamente fortalece seus principais parceiros para que estes possam também apoiar e se beneficiar das iniciativas e projetos promovidos pela instituição.

Com o projeto de Apoio à Comercialização da Pequena Produção, o Idaco atingiu seu objetivo, realizando ações diretas, junto à população e às organizações sociais, que apontam os caminhos das verdadeiras e necessárias transformações da realidade.